O que está acontecendo?

Começaria tudo outra vez se preciso fosse

Começaria tudo outra vez se preciso fosse

Quem leu minha peça de teatro sobre a batalha que travei com meu notebook sabe que não tenho lá muita sorte com Linux. Confesso que ando com vontade de tentar mais uma vez. Fiz uma pesquisa rápida e descobri que já existe suporte para minha webcam e impressora, ou seja, now everything is gonna be alright.

Por outro lado, eu paguei caro para ter um notebook com sistema operacional Microsoft Windows Vista Home Premium Ultra Porn original e o perdi, mas não só por culpa minha, e em decorrência disso, sendo do tipo que faz suas próprias leis, acredito que é justo e certo estar atualmente usando uma “versão perna de pau” do Windows 7 Ultimate (apenas R$ 669,00 na Saraiva).

Mas não estou me sentindo bem e, afinal, Windows é um troço arcaico, fechado, antiecológico. Apesar disso, não posso dizer que não estou gostando de usar o Win7. Ele funciona bem e é o primeiro Windows que vale a pena comprar. Ousaria até mesmo dizer que vale o preço. E esse fato, juntamente com minha preguiça, estão matando qualquer vontade de migrar.

E nessa altura do campeonato, meu amigo, migrar é foda.

Ao mesmo tempo em que lembro de todos os programas instalados aqui e que em geral não têm similares a altura no Linux, lembro que praticamente tudo é pirata. Uma rápida conta constataria que estou devendo uns R$ 10000,00 ou mais aos programadores do mundo todo.

E o desejo de migrar ganha mais algumas léguas de vantagem.

Talvez, usar programas piratas seja como fumar: é gostoso, mas você sabe que não é bom pra ninguém e acaba ficando preso pelo hábito e pelo comodismo. Parar de fumar e de usar programas piratas é uma coisa extremamente difícil. Toda mudança implica em obstáculos, por mais corriqueira que seja, e exige trabalho extra. Falo de mudança em geral, para o bem e para o mal.

Ora, todos dizemos que mudanças são boas e pregamos isso aos quatro ventos o tempo todo, mas no íntimo não queremos, não gostamos de mudar. Mudamos por obrigação. O meio nos obriga, ou a idéia que fazemos dele.

E assim, me vejo perdido, confuso e com frio.

Será que consigo fazer meu Stalker rodar no Ubuntu?