O que está acontecendo?

Sobre amor, relacionamento e as cabeças de pedra na Ilha de Páscoa

Sobre amor, relacionamento e as cabeças de pedra na Ilha de Páscoa

Pare de fazer seja lá o que você estiver fazendo nesse momento e leia esse post com total devoção e amor.

O que posso ensinar pra você, jovem mancebo ou rapariga, sobre o amor? Tenho pouco conhecimento, tanto teórico quanto prático. Ao menos em dupla.

Mas eu não poderia me eximir de nunca tratar ao menos uma vez desse tema tão pegajoso quanto intumescente, então vamos ao acto.

Em primeiro lugar tenho que confessar que sou um amante a moda antiga, do tipo que depois que espanca manda flores. Isto porque sou ciumento e possessivo graças a uma visão distorcida de minha pessoa e de um profundo complexo de inferioridade que Freud nunca me explicou.

Quando um garoto conhece uma garota (ou no seu caso, garoto conhece garoto, seu bichinha) e rola uma certa reação química que costuma se iniciar no baixo ventre, é chegada a primavera e o amor floresce.

Junto com a felicidade de encontrar o amor, vem o medo de perder o amor. Esse medo pode ser subdividido em várias facetas: ciúme, possessividade, obsessão, depressão, ansiedade, insegurança, impotência, agressividade, etcetera ad infinitum.

Mas calma, não se desespere ainda, apesar de todos os males, você deve ter confiança no amor! Por que afinal de contas, ao contrário do Corinthians, o amor vence tudo.

Tudo que você precisa saber sobre como amar e se relacionar com o sexo oposto está bem aí na sua frente. Nas ruas, na TV, na mesa de jantar. Todo mundo e qualquer um pode ensinar e dar dicas pra você de como desfrutar do amor de maneira saudável. Basta perguntar, jovem! Comece perguntando para seus pais.

Ter sucesso no amor é a coisa mais fácil do mundo, trust me.

Entretanto, se você não sentir firmeza no que eu acabei de explanar com tanta propriedade e estiver desconfiado de que seu bofe esteja corneando a sua pessoa, o que você precisa é de um chaveiro espião.

Acabaram-se todos os seus problemas! Pra quê confiança e diálogo aberto e honesto quando você já pode contar com a ajuda da tecnologia no desmascaradamento da putaria camuflada? Adquira seu chaveiro espião e descubra de uma vez por todas se é o caso de você por um sertanejão pra tocar e entrar pro clube do batidão.

(Esse post é uma homenagem a um dos meus blogs preferidos, o Odeio e Justifico, mantido pelo @raphs. Inclusive escrevi tentando copiar o estilo dele :D)