O que está acontecendo?

Zuando com seu Coby Kyros MID 1024

Zuando com seu Coby Kyros MID 1024

Um test-drive de durabilidade da bateria do 1024

Tirei o tab do carregador as nove da manhã mas o uso contínuo começou a uma hora da tarde. Navegação pulando de site em site, com o Dolphin browser. Nada de áudio ou vídeo, pouco game. Instalando, abrindo e fechando vários apps, o tempo todo com wifi ligado e com brilho de tela em 25%.

As quatro e meia da tarde o ícone da bateria ficou laranja, indicando que a carga estava em apenas 29%. As cinco e trinta e seis a bateria chegou a 15% e começaram os avisos pedindo recarga.

Então, o que tiramos disso? Cinco horas de uso moderado me parece uma média mais ou menos certa.

Zuando

Estou acompanhando alguns foruns onde existem tópicos com discussão animada sobre os tablets da série Kyros. Já existe um movimento para a conquista de algum update que melhore o tablet. A Coby deixou claro na FAQ da página do produto que não há planos de futura atualização, mas em se tratando de android isso funciona mais como estímulo do que freio para os consumidores mais engajados. O fato é que uma atualização é importante para extirpar alguns bugs e melhorar a experiência de uso. Ela virá, sendo oficial ou não.

Substituindo o cartão de memória interno

Todos aqui concordam que 4 gb é pouco pra memória de um tablet? Sim!

Por sorte nossa, existem os pioneiros. Algum maluco abriu um tablet Kyros e descobriu que essa memória é simplesmente um cartão micro SD, bonitinho, lá dentro, num slot. E esse mesmo sujeito deve ter pensado que seria uma boa ideia trocar esse cartão por um maior. Felizmente vários (não todos) tablets da série Kyros são assim, incluindo o MID 1024.

A parte mais difícil sem dúvida é abrir o bicho. Não é uma pena que os parafusos estejam fora de moda? Existem várias linguetas na borda interna da tampa traseira e elas devem ser empurradas para dentro com cuidado, uma por uma. É humanamente impossível começar esse procedimento sem riscar e machucar a junção da tampa como o corpo do aparelho, assim como ao fazer isso existe a possibilidade de quebrar alguma coisa, já que é um procedimento que necessita alguma força.

Esteja ciente disso antes de mais nada. E outra coisa: basta começar a abrir pra perder a garantia da loja ou da fábrica.

Só o penitente passará!

Clique aqui pra ver um vídeo aonde um doido explica como abrir a bagaça.

Depois dessa parte dramática, basta você descolar com cuidado o adesivo que cobre o slot do cartão, retirar o cartão com cuidado (lembre-se que o slot é daqueles de trava) e cloná-lo de alguma maneira. Veja aqui um tutorial passo a passo pra fazer isso.

Um detalhe: o cartão original é um SanDisk classe 4. Guarde a imagem clonada do cartãozinho para que você possa depois fuçar a vontade no sistema e testar outras roms.

Eu usei o EASEUS Partition Master Home Edition (só faltou um Megablaster nesse nome...) para clonar o cartão original usando um pen-drive com o mesmo tamanho. Depois clonei o pen-drive num cartão de 8 gb. Entenda, só usei o pen-drive como uma ponte, porque não tive como conectar os dois cartões ao mesmo tempo no computador. Se há algum modo mais fácil de fazer essa clonagem usando o EASUS, sou burro.

Depois basta colocar o cartão e montar tudo com o mesmo cuidado, travando por toda a borda mas começando o encaixe pela parte onde ficam os conectores.

É aconselhável dar um hard reset depois de tudo feito. É assim: com o tablet desligado, aperte o botão Home e Power ao mesmo tempo. O logo Coby vai aparecer. Solte os botões. O modo recovery abrirá. Aperte o botão de volume para cima. Ele vai reconstruir todo o sistema. Espere alguns minutos e ele vai desligar. Pronto, pode ligar.

É isso aí. O que você está esperando pra ir lá desmontar o seu brinquedo?