O que está acontecendo?

Tablet Semp Toshiba STI myPad MP1003G – um review

Tablet Semp Toshiba STI myPad MP1003G – um review

Meu Kyros esteve em coma. No curto espaço de tempo entre aguardar o suporte do fabricante e trazê-lo de volta a vida, frustrado, temendo o pior e sabendo que sou um jumento, fiz o que qualquer adulto consciente e responsável faria: comprei outro tablet. Rá!

Tive que convencer meu irmão de que tablets são o futuro e vendi o Kyros para ele em suaves prestações à perder de vista.

E aqui está mais um review.

STI myPad - O meu, o seu, o nosso

O myPad, nome que é claramente inspirado no do concorrente você-sabe-qual, é segundo a Semp Toshiba um nome registrado e de propriedade dela, mas isso não altera o fato de que é usado à la vonté por fabricantes xing-lings e por causa disso não inspira confiança. Mas é um nome bacaninha.

Da mesma forma que aconteceu com o Positivo Alfa, o myPad foi proclamado como produto brasileiro, obra de arte da tecnologia tupiniquim. Não é, é mais um OEM, mas um bom OEM, como o Alfa. Não tenho certeza, mas parece que ele é apenas montado no Brasil, mais especificamente, na Bahia.

O QUE QUE O BAIANO TEM?

Incrível a economia feita pela Semp Toshiba nos itens que acompanham o tablet. Nem mesmo fones de ouvido ordinários vieram com o produto. Mas isso é compensado pelas boas características do tablet. Muitas são semelhantes ao Kyros 1024.

Coisas boas:

  • Processador nVidia Tegra 250 (1GHz, dual core).
  • 512 MB de memória RAM.
  • Tela capacitiva multitoque de 10.1".
  • Entrada USB, saída HDMI, Bluetooth, Wi-Fi (e 3G opcional).
  • Cartão Micro-SD de 16GB incluso (ou 32GB).

Coisas não boas:

  • Vem com Android 2.2 Froyo (muitos programas mas poucos que se adaptam bem a tela grande).
  • Não vem com o Google Market (a desculpa é que o Google não deixou).
  • Pesadíssimo: 750g (150g a mais que o iPad2, 70g a mais que o iPad1 e Kyros 1024).
  • Caro: (em setembro de 2011) o dobro do preço de um Kyros 1024.

Veja aqui um comparativo do Advent Vega, que é uma das encarnações desse aparelho, com outros tabletes famosos. O manual em pdf do myPad Semp Toshiba está aqui.

Vou comparar bastante com o Kyros, então pode ser interessante que você leia o review dele.

TELA E TOQUE

A tela tem exatamente o mesmo tamanho que a do Kyros, porém com cores mais vivas, me parece. Em contrapartida, é um pouco mais reflexiva e tem angulo de visão um pouco limitado. É uma tela que não gosta de ser olhada de soslaio. A do Kyros é sem dúvida melhor.

O ponto negativo fica para o limite de dois toques pois ela é dualtouch, segundo o app Multitouch Visible Test. Aliás, vale dizer que não li o suficiente pra ter certeza sobre o dualtouch ser limitação do firmware ou do hardware.

Mesmo sendo mais pesado, por ser maior e ter bordas suficientemente largas para apoiar todo o polegar, o myPad é mais confortável de se segurar do que o Kyros. De fato, assim é porque, como muitos outros tablets, ele tem o excelente design copiado do iPad. Pondo de lado a proporção da tela, ele homenageia muito o tablet da Apple.

Essa homenagem deu sumiço nos botões comumente encontrados em Androids. Nas bordas da tela não há nada, todos os botões ficam nas laterais. Nele não existe a possibilidade de toques acidentais como no Kyros.

Para compensar a falta desses botões, o Android do tablet teve a barra de notificações incrementada com atalhos home, menu e back.

O myPad passa a impressão de ser resistente. A frente é única, com margens e traseira black piano, excelente para coletar impressões digitais e ficar emporcalhada por dedos gordurosos. Depois de algum tempo, a coisa realmente começa a ficar nojenta.

Na lateral direita está uma portinhola que esconde a saída HDMI, a entrada USB e o slot com o cartão micro SD, que pode ser de 16GB ou 32GB de acordo com o modelo.

Na parte de baixo há um slot para uso com um dock e na traseira em cima outra portinhola que esconde o slot de cartão SIM, mas só funciona no modelo com 3G. Parece que é possível a instalação opcional do módulo 3G.

Ao contrário da Coby, que está aprendendo ainda o que é suporte ao consumidor, todos os docs, arquivos, drives e firmware do myPad estão disponíveis no site de suporte da Semp Toshiba.

Tanto a traseira como a frente seriam lindas e discretas não fosse a presença do monstruosamente horroroso logotipo STI (Semp Toshiba Informática). O ponto negativo fica também pra borda texturizada na cor prata. Cumpre a função de melhorar o atrito da pegada mas passa a impressão de ser feita de plástico vagabundo.

CAMERA E SOM

Com 1.3 Megapixels, a camera do myPad cumpre a função. O par de falantes traseiros fica na parte de baixo e tem um dedinho a mais de volume e graves que o do Kyros, mas é pouca pouca coisa.

SISTEMA E DESEMPENHO

Tive impressão de maior fluidez em alguns joguinhos, mas isso deve ser moleza de se conseguir rodando Android 2.2 num processador dual core.

Pesquisando um pouco, li que é possível rodar nesse tablet uma versão custom do Gingerbread e do Honeycomb sem muito drama. E não há como evitar querer experimentar isso. Por ser um genérico popular na gringolândia e europa, ao contrário do Kyros, já possui uma comunidade desenvolvida e muita informação disponível sobre ele.

Estando original, lamentável é a falta do Google Market. O problema é que o usuário comum terá dificuldades em usufruir do potencial máximo do tablet se depender apenas da vergonhosa app store da Semp Toshiba e de um possível mas remoto update.

No Brasil temos um problema sério de suporte. É triste ver o mesmo produto recebendo melhorias em outros lugares enquanto nossas queridas marcas se preocupam apenas em vender.

BATERIA

As especificações prometem durabilidade muito boa. No meu teste casual, tirei o tab do carregador as 9:00h, comecei a usar as 10:00h. Wi-Fi ligado o tempo todo, brilho em 25%. Navegação moderada, edição de texto, instalar abrir e fechar aplicativos, alguns minutos jogando, nada de vídeos ou música. Assim foi até exatamente 17:55h, quando a bateria caiu pra 29%. Média de umas 7 horas de uso leve/moderado.

CONCLUINDO

É um bom tablet, limitado pela versão antiga do Android e um pouco pesado demais mas com um recheio que realmente compensa, principalmente se você instalar outro firmware melhor. Grande defeito é ser caro, quase o mesmo preço do iPad mais simples, porém a tendência é queda a curto prazo. Pesquisando bem é possível encontrá-lo por um preço quase justo.

Leia mais sobre ele:
http://ztop.com.br/2011/05/09/com-mypad-semp-toshiba-entra-no-jogo-dos-tablets/
http://www.blogdopaz.com.br/novidades/semp-toshiba-pisa-na-bola-com-seu-tablet-mypad
http://www.androidtablets.net/forum/advent-tablets/9826-p10an01-tablet-alternate-names.html