O que está acontecendo?

Feudos digitais

Feudos digitais

É sabido que os homens pensam em bando. Poderá se constatar que enlouquecem em bando, enquanto que só recuperam a sanidade lentamente e um de cada vez. - Memoirs of Extraordinary Popular Delusions and the Madness of Crowds, Charles Mackay, 1841.

Nunca fui um sujeito muito entrosado, bom de trabalhar em equipe ou fazer parte de pequenos grupos ou "panelinhas". Não consigo ser social assim, mesmo quando quero. Acabo ficando mais no meu canto. Piorei bastante com a idade. Acho que hoje sou praticamente um eremita.

Tenho pavor de multidões. Não é fobia, é só precaução mesmo. Pouca coisa boa acontece quando muita gente se reúne no espaço e no tempo e começa a agir como apenas um. Correntes fascistas nascem assim. Alguém pode tomar as rédeas e o grupo pode seguir numa direção perigosa.

Também não sou de carregar bandeiras, embora eu as vezes ensaie erguer algumas, como a do veganismo, por exemplo, mas me descobri bastante avesso a marchar pelo som de qualquer tambor. Hoje eu sigo essa regra bastante simples e direta que pode ou não estar escrita no livro "A arte da guerra": Quando você estiver caminhando e se deparar com uma multidão usando as mesmas cores e carregando as mesmas bandeiras, fuja. Mesmo que você considere agradáveis as cores e as bandeiras, fuja.

Precisamos parar de nos deixar levar

O rumo que as coisas na Internet têm tomado nos últimos anos me deixou preocupado em relação a minha privacidade. O que pode soar um pouco estranho vindo de alguém que compartilha bastante coisa num blog pessoal. Mas é fato também que escrevi pouquíssimo nesses últimos anos.

É absolutamente terrível o que grandes empresas têm aprontado com nossos dados. Ok, sabemos que nada é de graça e que se você usa algum serviço gratuito da web está pagando com seus dados. Até aí tudo bem. Em geral não nos importamos porque isso é bastante cômodo, mas essas grandes empresas provaram que além de não serem confiáveis, são mal-intencionadas.

Depois de tantas denúncias sobre vazamentos de dados e manipulação de opiniões nas redes sociais, coisas que influenciaram as eleições em várias partes do mundo e conduziram a política mundial mais para a direita do que é saudável, resolvi rever alguns hábitos e tomei algumas decisões.

Adeus Google, nos vemos por aí

A primeira decisão foi deslogar do Google. Troquei o meu e-mail principal do Gmail por um que é criptografado de ponta a ponta, o Protonmail. Nisso já parei de mostrar para o Google uma boa parte do meu cotidiano, já que ele não tem acesso mais a minha correspondência. Também não estou logado quando faço uma busca ou assisto um vídeo no Youtube. Do mesmo modo, parei de usar o Hangout. Foi bastante trabalhoso apagar 10 anos de dados acumulados, as vezes muito bem espalhados e escondidos atrás de dezenas de páginas diferentes. Pra você ter uma ideia, apaguei mais de 7000 e-mails.

Agora uso o DuckDuckGo como buscador principal, recorrendo ao Google apenas quando necessário.

Outra parte difícil foi entrar em cada site em que tenho conta e substituir o e-mail. Levei uns bons dias fazendo isso e em alguns não foi possível. Depois de zerar tudo o que estava salvo na minha conta do Google, configurei o Gmail para redirecionar qualquer nova mensagem para meu novo endereço. Isso foi importante parar cortar o acesso do Google aos sites que uso. Não tenho a mínima dúvida de que ele podia entrar a vontade neles e ver o que andei fazendo.

Adeus Twitter, vou sentir saudades

Apaguei minha conta pessoal do Twitter. Era um lugar onde eu pouco interagia nos últimos anos. Usava basicamente para me manter informado. Toda aquela avalanche de "Veja essa merda que esse merda está fazendo exatamente agora!" estava me fazendo mal. Você pode argumentar que seria melhor então seguir outras pessoas. Sim, é verdade, é possível. Mas o problema não é só esse. O Twitter se transformou numa plataforma tão nociva quanto o Facebook. Sair de lá é adotar uma postura clara.

Como gosto de ouvir as pessoas falando sozinhas e, as vezes, até interagir com elas, criei um perfil no Mastodon e estou acompanhando pessoas novas. O Mastodon é tipo um Twitter que evoluiu sem virar um monstro.

Adeus Facebook e seus tentáculos, nunca gostei de você

Deletei Instagram, Whatsapp, Messenger e finalmente Facebook. Criei um perfil apenas para gerenciar a página do meu sebo e saí a francesa. Também foi um processo trabalhoso. Acredito que os tentáculos do Facebook são mais difíceis de se desgrudar do que os do Google.

Ninguém vai me dizer o que sentir

Todas essas empresas começaram mais ou menos com boas intenções. Hoje são a estrada para o inferno. Em algum momento elas perderam o controle e ganharam poder demais. Elas nos prendem em bolhas invisíveis e direcionam até mesmo o que sentimos. Eu recomendo a todo mundo que, dentro do possível, as abandone imediatamente.

Eu sempre me considerei um sujeito antenado, desenvolto na web. Eu estava preso e só percebi quando dei esse logoff geral. Impressionante a quantidade de coisas que eu não estava vendo porque o Google não mostrava ou mostrava o que julgava ser o que eu queria ver.

Vamos fugir desse lugar, baby

Eu sei. É incomodo, dá trabalho e nem parece importante. Mas acredite em mim, você vai ser mais feliz.

Tchau Zuck
Tchau Grande Irmão
Tchau passarinho azul

Mais radical?

Nessas mudanças radicais também estou tentando incluir a Amazon, que é sem dúvida a empresa mais predatória que já existiu (depois da Igreja Católica Apostólica Romana, né).

Algumas pessoas vão mais longe e aconselham abandonar Microsoft e Apple. Essas também já mostraram que não se importam realmente com as pessoas e estão focadas em poder e grana. Trocar de sistema operacional exige bastante força de vontade. Consigo usar Linux para tarefas simples, entretanto não estou pronto para um passo tão grande. Talvez eu mude de ideia logo, vamos ver.

Sem dúvida o caminho mais seguro é optar por software open source sempre que possível. Se você ler os termos de uso do Windows e do macOS vai ver que na verdade o sistema instalado no seu computador sequer é seu. Se não é seu, você não tem controle sobre ele. Alguém tem. Esse alguém está cuidando adequadamente das suas coisas?

É isso. Resumindo: fique esperto com seus dados.